18.8.09

CHORE POR MIM, ARGENTINA!

CHORE POR MIM, ARGENTINA!

Marcelino Rodriguez


Mandei uma crônica minha pra um dos meus correios de divulgação dos meus textos, lista essa
Com mais de duzentos nomes. Só recebi um comentário, vindo de uma leitora da
Argentina.
Salvou-me o dia.
Aliás, não fosse eu já ter sido publicado em sites do exterior e recebido críticas até da Republica
Dominicana iria duvidar do valor do meu trabalho.
Eu sou muito triste e solitário no Brasil.
Vivo um exílio sem fim. De vez em quando olho o que resta do ultimo livro que
Publiquei impresso
e penso em jogá-los todos fora, queimá-los e isolar-me definitivamente do social brasileiro.
Não sabia o que andou me abatendo nos últimos dias até que parei pra pensar e
e descobri.
Estava me sentindo traído pelo país.
Já escrevi dez livros, ainda que sem apoio de ninguém praticamente no sentido oficial público ou privado; ou seja, claro
Que uma meia dúzia de boas almas me ajudaram (e ajudam) bastante
a sobreviver , mas em geral a população não apóia não.
O brasileiro médio só pensa em si próprio, já me disse uma vez um
taxista desiludido. Quer saber quem é seu amigo? Publique um livro no Brasil e tente vender.
Faça lançamentos. Prepare-se para
“ perder” um monte deles.
E não se trata apenas essa tragédia do egoísmo com relação a literatura, não.
Não sou corporativista nem com os intelectuais daqui.
O bem do outro aqui é desprezado, como se o bem do próximo não fosse também um bem da vida.
Ou seja, para se chegar a algum lugar tem que se lutar contra a corrente, que torce
E conspira pra sua derrota.
Um ser humano relativamente educado já é problemático e pecaminoso; um ser humano
sem letras e sem refinamento é bárbaro.
De nada adianta campanhas para o futuro
se não aculturar de verdade a população e não
esse ensino maquiado que não forma ninguém. Se alguém duvida do que digo, veja a qualidade
de muitos “profissionais” de nível superior do país ,
metidos nas mais variadas falcatruas.
Deus é brasileiro? Sinceramente, não creio nisso.
Não concebo um Deus que não goste de poesia, teatro, música, cinema, leitura, artes plásticas, simetria, pontualidade.
. Agora que
A pessoa que realmente queira fazer algo sadio e
produtivo aqui tem que contar com a ajuda divina,
senão não anda, isso tem. O povo só não sabota os mais famosos, quando já saíram do inferno da sobrevivência.
Ao menos cada vez escrevo menos e não posso deixar de gozar uma ironia interior de saber que com isso
O país fica mais burro do que já é.
Aqui o que tem valor não vale nada.
Pode chorar por mim, Argentina!
E que Deus te proteja, Marcelino!

Comente no blog do autor e ganhe o livro “A Bagagem do Viajante” de José Saramago.

14 comentários:

Joana Rodrigues disse...

Meu querido, não é apenas pelo ebbok que, se não quiser se incomodar entenderei perfeitamente; mas o meu comento vai para o texto mesmo, sem maquiagem, na lata, como devem ser as crônicas direcionadas à literatura, cultura e educação dos brasileiros que, tenho o maior prazer de repetir suas palavras: 'Ao menos cada vez escrevo menos e não posso deixar de gozar uma ironia interior de saber que com isso
O país fica mais burro do que já é'.
Abraços poéticos,
Joana Rodrigues
(Autora de O Dom de Amar)

Anônimo disse...

Eu te via como um homem forte!! Após ler este comentário fiquei muito entristecida, pois vejo que você precisa que os outros te valorize.
Não sinto pena de ti, pois sei que és GRANDE e não precisa de ninguém para te fortalecer. Nunca confie nos outros!! Pense sempre: EU POSSO!!!!
Não precisa aceitar, delete meu cometário, só quero que saibas que 'PODES TUDO NESTA VIDA.

Anônimo disse...

Marcelino Rodriguez estou parabenizando-o pelo seu texto. Eu também gosto de escrever contos, já tenho mais de dez publicados em coletaneas, mas ninguém nunca reconheceu o meu talento. Mas devemos continuar mostrando a nossa criatividade em nossos textos.

Marcelino Rodriguez disse...

Joana, pra mandar o livro é só me pedir no email citado no Blog.

Fernanda Carvalho disse...

Marcelino,

Cheguei aqui e apreciei muito sua crônica, infelizmente nesse país, não valorizamos o que é bom!!!
Continue amigo em sua jornada e que DEUS continue gostando da gente!!!
Meu email se puder enviar algo interessante anote por favor: fer_carva@hotmail.com
Sucesso!!
Fernanda.

Marcelo disse...

A corrente, que torce e conspira pra sua derrota, é a mesma corrente que o impulsiona rumo a eternidade!

Eu li seu desabafo, percebi a sua imensa desilução e decepção em: "escrever bem, mas, para ninguem!".

O que posso lhe dizer meu amigo, é que o Brasil, sendo este país tão mesquinho no quesito educação é o unico que pode formar escritores, cronistas, letristas e poetas de grande magnitude... Pois ele simplesmente os ignora, isso por um lado é muito bom, pois obriga aqueles que tem o dom da escrita a se superarem e os tornarem os melhores em suas categorias, veja os exemplos de nossa vasta literatura e em inumeras vertentes da escrita... Isso só acontece aqui... Se você escrevesse sobre Futebol e/ou novelas, com certeza seria muito mais bem sucedido, mas com certeza você não teria um terço da sua competencia!

Siga em frente!

Peterson disse...

Não desista caro amigo,,,não é porque a mediocridade está vencendo (e já perdeu alguma vez?) que iremos desistir...Escrevo isto escutando a Décima sinfonia do Shostakovich, então podes também ver o meu isolamento,,,,

PS-Saramago é o meu escritor vivo predileto.Obrigado!

Andre Luis disse...

Meu caro,
a mediocridade avança em blocos, tomando esquina a esquina, avançandno impiedosamente, ou lutamos acendendo alguma luz do lirismo, ou abaixamos a cabeça e esperamos ela nos devorar... um dia alguém vai colher os frutos que semeamos.
Abraços.

alegria disse...

Olá Marcelino,
não desista de seus sonhos, por mais que a maioria das pessoas não de importancia, não ligue, o que importa é você acreditar nele. Não preocupe com o reconhecimento imediato, pense nos grandes escritores, como por exemplo o Machado, que só tornou um grande autor depois de sua morte. Já pensou se ele tivesse desistido?............
Pense nisso!!!!!!!
Abraços

Michelle - Pernambuco disse...

Oi Marcelino, adorei seu texto. Estou começando a escrever e tenho planos de um livro, seu texto pareceu-me realista e serviu-me pra refletir mais sobre a nossa realidade como escritores... Um abraço... Sim, também quero um livro viu!

mediego09 disse...

Caro , Marcelino , quanto mais te exilas do Brasil , mais te tornas brasileiro . O Brasil e' esse , como ja' disseram , narciso ao contrario . Esse e' o grande predicado do Brasileiro , querer se afastar dele , negar se diariamente a pertencer a um concreto Estado . Gracas a esse bom Deus que falas , nao somos Brasil , somos Brasis . Nadar contra a corrente e' facil , dificil e' assumir a corrente e querer muda la . Carregas uma cruz inutil e sem" pra ques " . Escreva com teu ombro limpo e encontraras tua ilha desconhecida , porto seguro dos nossos sonhos .

Cintia Akemi disse...

Olá! Obrigada pela visita! E vamos nos visitando! Bjos e ótima quarta!

Anônimo disse...

testando blog

Sidnei disse...

Prezado Marcelino

São as dificuldades da vida que fazem o carater de um homem, são as propulsoras das nossas conquista, sem elas não daríamos valor as nossas vitórias.

Abraços
Sidnei